quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Como, contar que será reprovado na Escola. E não ser morto?






Uma garota tinha que entregar o boletim escolar para os pais dela e as notas ali não eram as notas do sonho de nenhuma mãe muito menos do pai. Ela usou a criatividade para contar a maravilhosa notícia.
Oi papai! Oi mamãe!
È com o coração partido, mas feliz da vida. Que eu digo para vocês que eu sai fora com o Dudu, ele é o homem da minha vida.
Estou absolutamente fascinada com as suas tatuagens, com aquele cabelo moicano, com aqueles ferros e piercings que ele coloca naquele corpinho maravilhoso. Entretanto. Tenho que lhes contar que não é só isso. O Douglas, aquele menino que vocês não gostam dele, ele está com a gente.
Portanto não se preocupem comigo. Já tenho 15 anos e sei me virar sozinha tá.
Com amor e carinho da sua querida filhinha.
Ah! Pai, mãe, isso é só uma brincadeirinha viu! Estou na casa da Mariana, só queria mostrar que há coisas bem piores na vida que estas notas que estão aí no boletim. Não se estressem não. No ano que vem eu me recupero.
Resposta dos pais:

Querida filhinha,

"Quando a sua mãe leu a sua carinhosa cartinha, ela passou muito mal e foi parar no pronto socorro. Você foi retirada do testamento e toda a herança será do seu irmão. Todas as coisas do seu quarto foram doadas para o pessoal do orfanato, cancelamos o seu celular e o seu cartão de crédito. Todos os seus Cd’s do NX0, do Justin Bieber, do Restart, do Cine, do Jonas Brothers, do Fiuk e do Luan Santana nós doamos para a Karina do segundo andar, aquela garota que você acha insuportável. Aquela mesma que no ano passado roubou o Rafinha, aquele seu namorado gatinho que até hoje você não esqueçe. Pode ir arrumando um bom emprego porque dinheiro daqui de casa já era.

Enfim, espero que você seja muito feliz na sua nova vida.
Nota! Filha querida, claro que tudo isso não passa de uma brincadeira. A sua mãe está aqui comigo assistindo Eu a Patroa e as Crianças e tudo está bem.

Só queríamos lhe mostrar que há coisa bem piores do que passar as próximas cinco semanas sem sair de casa, sem celular, sem Internet, sem vídeo game, sem televisão e, principalmente, sem ir à casa da camila. Tudo isso por causa dessas notas ridículas e, dessa brincadeira idiota que você fez com agente.


Edilson Rodrigues Silva










segunda-feira, 17 de outubro de 2011

DICAS SIMPLES PARA UMA VIDA COMPLEXA








Dez Coisas que Levei Anos Para Aprender

1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.

2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.

6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite.

7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".

9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.


Luís Fernando Veríssimo

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O LIXO NOSSO DE CADA DIA!














O Lixo
Encontram-se na área de serviço. Cada um com seu pacote de lixo. É a primeira vez que se falam.
- Bom dia...
- Bom dia.
- A senhora é do 610.
- E o senhor do 612
- É.
- Eu ainda não lhe conhecia pessoalmente...
- Pois é...
- Desculpe a minha indiscrição, mas tenho visto o seu lixo...
- O meu quê?
- O seu lixo.
- Ah...
- Reparei que nunca é muito. Sua família deve ser pequena...
- Na verdade sou só eu.
- Mmmm. Notei também que o senhor usa muito comida em lata.
- É que eu tenho que fazer minha própria comida. E como não sei cozinhar...
- Entendo.
- A senhora também...
- Me chame de você.
- Você também perdoe a minha indiscrição, mas tenho visto alguns restos de comida em seu lixo. Champignons, coisas assim...
- É que eu gosto muito de cozinhar. Fazer pratos diferentes. Mas, como moro sozinha, às vezes sobra...
- A senhora... Você não tem família?
- Tenho, mas não aqui.
- No Espírito Santo.
- Como é que você sabe?
- Vejo uns envelopes no seu lixo. Do Espírito Santo.
- É. Mamãe escreve todas as semanas.
- Ela é professora?
- Isso é incrível! Como foi que você adivinhou?
- Pela letra no envelope. Achei que era letra de professora.
- O senhor não recebe muitas cartas. A julgar pelo seu lixo.
- Pois é...
- No outro dia tinha um envelope de telegrama amassado.
- É.
- Más notícias?
- Meu pai. Morreu.
- Sinto muito.
- Ele já estava bem velhinho. Lá no Sul. Há tempos não nos víamos.
- Foi por isso que você recomeçou a fumar?
- Como é que você sabe?
- De um dia para o outro começaram a aparecer carteiras de cigarro amassadas no seu lixo.
- É verdade. Mas consegui parar outra vez.
- Eu, graças a Deus, nunca fumei.
- Eu sei. Mas tenho visto uns vidrinhos de comprimido no seu lixo...
- Tranqüilizantes. Foi uma fase. Já passou.
- Você brigou com o namorado, certo?
- Isso você também descobriu no lixo?
- Primeiro o buquê de flores, com o cartãozinho, jogado fora. Depois, muito lenço de papel.
- É, chorei bastante, mas já passou.
- Mas hoje ainda tem uns lencinhos...
- É que eu estou com um pouco de coriza.
- Ah.
- Vejo muita revista de palavras cruzadas no seu lixo.
- É. Sim. Bem. Eu fico muito em casa. Não saio muito. Sabe como é.
- Namorada?
- Não.
- Mas há uns dias tinha uma fotografia de mulher no seu lixo. Até bonitinha.
- Eu estava limpando umas gavetas. Coisa antiga.
- Você não rasgou a fotografia. Isso significa que, no fundo, você quer que ela volte.
- Você já está analisando o meu lixo!
- Não posso negar que o seu lixo me interessou.
- Engraçado. Quando examinei o seu lixo, decidi que gostaria de conhecê-la. Acho que foi a poesia.
- Não! Você viu meus poemas?
- Vi e gostei muito.
- Mas são muito ruins!
- Se você achasse eles ruins mesmo, teria rasgado. Eles só estavam dobrados.
- Se eu soubesse que você ia ler...
- Só não fiquei com eles porque, afinal, estaria roubando. Se bem que, não sei: o lixo da pessoa ainda é propriedade dela?
- Acho que não. Lixo é domínio público.
- Você tem razão. Através do lixo, o particular se torna público. O que sobra da nossa vida privada se integra com a sobra dos outros. O lixo é comunitário. É a nossa parte mais social. Será isso?
- Bom, aí você já está indo fundo demais no lixo. Acho que...
- Ontem, no seu lixo...
- O quê?
- Me enganei, ou eram cascas de camarão?
- Acertou. Comprei uns camarões graúdos e descasquei.
- Eu adoro camarão.
- Descasquei, mas ainda não comi. Quem sabe a gente pode...
- Jantar juntos?
- É.
- Não quero dar trabalho.
- Trabalho nenhum.
- Vai sujar a sua cozinha?
- Nada. Num instante se limpa tudo e põe os restos fora.- No seu lixo ou no meu?»

Texto da obra de Luis Fernando Verissimo.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A VERDADEIRA ESTÓRIA DE ``QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO``



Quando você vai livraria e vê na estante aquele livro quem mexeu no meu queijo, fica louco para saber quem mexeu nesse bendito queijo, não fica.
Agora, não precisa mais ler o livro, investigamos e chegamos ao fundo dessa estória. Tá ai !!! diretamente de minas capital mundial do queijim...
A verdadeira estória de quem mexeu no meu queijo....







Há muitos anos, o acaso uniu, na rabeira de uma tropa de mulas que percorria o interior de Minas Gerais, um padre, um estudante e, a transportar as malas e os livros dos dois, um caboclo observador. No lento trotar das mulas, sob o sol do sertão, padre e estudante debatiam sem chegar a qualquer conclusão.

No fim da tarde, estacionaram ao lado de um casebre e pediram licença à mulher que os atendeu para pernoitar ali, oferecendo poucas moedas em troca de água, lugar para pendurar as redes e algum alimento. A pobre mulher concordou, enfiou as moedas rapidamente no bolso da saia e, um minuto depois, trazia aos hóspedes uma jarra de água e o único alimento existente no casebre: um miserável pedaço de queijo, que não dava para alimentar um quarto de homem.

Sem saber como dividir o queijo entre os três, o padre, certo de que, com sua oratória, poderia enganar os outros dois, propôs o seguinte: que dormissem e, ao amanhecer, aquele que contasse o sonho mais bonito, certamente inspirado por Deus, ganharia o direito de comer o queijo. Todos concordaram e, cobertos pela poeira da estrada, foram dormir.

No meio da noite, contudo, ouvindo o padre e o estudante roncarem, o caboclo levantou da rede, aproximou-se do armarinho em que a mulher guardara o queijo e o engoliu.

Quando amanheceu, enquanto tomavam o café ralo que a mulher lhes ofereceu, o padre, que sonhara a noite toda com o queijo, foi o primeiro a relatar seu sonho. Disse que, auxiliado por anjos, subira por uma escada cheia de enfeites dourados até o céu. O estudante, por sua vez, contou que, mal havia dormido, já se encontrou em pleno Paraíso, aguardando pelo padre que, tinha certeza, chegaria em poucos minutos.

Era a vez do caboclo falar. Com os olhos presos ao chão, numa voz mansa, ele disse: “Sonhei que via o senhor padre e o moço lá no céu, rodeados dos anjos e dos santos. E que eu tinha ficado aqui, sozinho e morto de fome. Então, subi no telhado e gritei com toda força pra vosmecês: ‘E o queijo?! Não vão comer o queijo pra mó da gente seguir viagem?!’. E vosmecês responderam, felizes da vida: ‘Pode comê o queijo, caboclo! É todo seu! Aqui no céu não precisamos de queijo!’. Fiquei tão feliz, e tudo pareceu tão de verdade, que levantei da rede e comi o queijo...”.







extraido uol educação

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

FRASES CRIATIVAS DE ALUNOS NÃO TÃO CRIATIVOS!!!!

A educação brasileira pode estar em crise, porém, essa crise não atingiu a criatividade dos nossos estudantes.
Tire suas próprias conclusões, São frases criativas ou não ?









Um trauma de criança brasileira: Não poder fazer um boneco de neve.


O problema de respirar é que um dia você para de fazer isso.


Incrível, ele é tão veloz quanto um gato morto.


Foi comprovado que quem faz mais aniversários vive mais.


Não dá para conversa com meu peixe, ele só fica boiando...


O carro de fabricação mais rápida do mundo: o Nissan Miojo.


O hoje nada mais é do que o amanhã de ontem.


Depois de inventarem o enterro os mortos passaram a viver melhor.


Os três "S"s do sucesso: sorriso, sabor e sforço!


Vi um negócio muito chocante ontem: uma galinha em cima de um ovo.


Se o Arnold Schwarzenegger fosse brasileiro, montaria uma banda de pagode chamada "Arnaldo e Suas Nêga". 
                                                    
Na minha casa tinha uma porta de correr, então levei ela pra São Silvestre.






           



















segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O meu pai e o Tempo.




Você, se lembra?
4 anos: Meu pai pode fazer tudo.
5 anos: Meu pai sabe muitas coisas.
6 anos: Meu pai é mais esperto do que o seu pai.
8 anos: Meu pai não sabe exatamente tudo.
10 anos: No tempo antigo, quando o meu pai foi criado,
as coisas eram muito diferentes.
12 anos: Ah, é claro que o papai não sabe nada sobre isso.
É muito velho para se lembrar da sua infância.
14 anos: Não ligue para o que meu pai diz. Ele é tão antiquado!
21 anos: Ele? Meu Deus, ele está totalmente desatualizado!
25 anos: Meu pai entende um pouco disso, mas pudera! É tão velho!
30 anos: Talvez devêssemos pedir a opinião do papai.
Afinal de contas, ele tem muita experiência.
35 anos: Não vou fazer coisa alguma antes de falar com o papai.
40 anos: Eu me pergunto como o papai teria lidado com isso.
Ele tem tanto bom senso, e tanta experiência!
50 anos: Eu daria tudo para que o papai estivesse aqui agora e eu pudesse falar com ele sobre isso. É uma pena que eu não tivesse percebido o quanto era inteligente. Teria aprendido muito com ele.



Você  já falou com seu pai, hoje?

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Guia de sobrevivência: Como levar seu filho pequeno ao shopping.


10 dicas de como levar seu filho pequeno ao shopping e sobreviver.

1-      Vista-o com roupas confortáveis, nada daquela roupinha linda de aniversario que ele detesta e você acha linda.

2-        Avise-o com apenas dez minutos de antecedência. Ninguém agüenta,  quando eles começam a perguntar:  Já tá na hora de ir? Já tá na hora de ir? Já tá na hora de ir?

3-           Nunca em hipótese alguma, diga, para  amigos ou parentes que você irá ao shopping com  seu filho. Com certeza irão pedir para você levar o Junior, e você conhece o Junior! Lembra aquele menino do aniversário!

4-        Sempre vá direto para o shopping, nada de dar uma passadinha na casa da vovó ou no serviço. Escolha o trajeto mais rápido possível, e não fique irritado  com perguntas tipo:  Já Chegou, Já Chegou, Já Chegou, a cada dois minutos.

5-        Estacione o mais próximo possível da entrada, quanto mais longe, maior será o trajeto que você  terá de carregar sue filho.

6-       Informe-se furtivamente a respeito de onde fica a loja de jogos eletrônicos. Passe bem longe dela.

7-        Alongue-se antes de ir e assim que chegar ao shopping, você pode ter uma lesão grave, ao correr atrás do seu filho e quando tiver de levantá-lo do chão enquanto ele faz pirraça.

8-      Nunca diga não tenho dinheiro, a maioria das crianças já conhece cartão de credito.

9-      Não insista para ele comer a salda do MC Donalds. Com certeza ele vai querer o lanche feliz. Que divertido só tem o nome, onde é divertido ver seu filho, abrir a caixa, pegar o brinquedo, dar uma mordida no sanduíche  e dizer: Não quero mais!. Divertido, somente para os funcionários do MC Donalds que ficam olhando adulto, comendo sanduíche de criança, afinal não podemos desperdiçar.

11  Vá ao shopping com seu filho somente se for imprescindível, tipo: NUNCA! Dê preferência para o sr. Manuel, perto da sua casa, ou você já ouviu seu filho gritar : Oba, vamos na vendinha dos seu Manule! Será menos cansativo.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Marido educado.. Isso existe ?

Novo Curso de Formação para Homens 

OBJETIVO PEDAGÓGICO:

Permite aos homens desenvolver a parte do corpo da qual ignoram a existência, (o cérebro).

SÃO 4 MÓDULOS.

Módulo 1: Curso (Obrigatório)
1. Aprender a viver sem a mamãe (2.000 horas)
2. Minha mulher não é minha mãe (350 horas)
3. Entender que não se classificar para o Mundial não é a MORTE (500 hs)


Módulo 2: Vida a dois 
1. Ser pai e não ter ciúmes do filho (50 horas)
2. Deixar de dizer impropérios quando a mulher recebe suas amigas (500 hs)
3. Superar a síndrome do "o controle remoto é meu" (550 horas)
4. Não urinar fora do vaso (1.000 horas - exercícios práticos em vídeo)
5. Entender que os sapatos não vão sozinhos para o armário (800 hs)
6. Como chegar ao cesto de roupa suja (500 horas)
7. Como sobreviver a um resfriado sem agonizar (450 horas)


Módulo 3: Tempo livre
1. Passar uma camisa em menos de duas horas (exercícios práticos)
2. Tomar a cerveja sem arrotar, quando se está à mesa (exercícios práticos)


Módulo 4: Curso de cozinha 
1. Nível 1 (principiantes = os eletrodomésticos (ON/OFF = LIGA/DESLIGA)
2. Nível 2 (avançado = minha primeira sopa instantânea sem queimar a
Panela)
3. Exercícios práticos = ferver a água antes de por o macarrão.

CURSOS COMPLEMENTARES:
POR RAZÕES DE DIFICULDADE, COMPLEXIDADE E ENTENDIMENTO DOS TEMAS, OS CURSOS TERÃO NO MÁXIMO 3 ALUNOS.

1. A eletricidade e eu: vantagens econômicas de contar com um técnico competente para fazer reparos;

2. Cozinhar e limpar a cozinha não provoca impotência nem Homossexualidade (práticas em laboratório);

3. Porque não é crime presentear com flores, embora já tenha se casado com ela;

4. O rolo de papel higiênico: Ele nasce ao lado do vaso sanitário? (biólogos e físicos falarão sobre o tema da geração espontânea)

5. Como baixar a tampa do vaso passo a passo (teleconferência);

6. Porque não é necessário agitar os lençóis depois de emitir gases intestinais (exercícios de reflexão em dupla);

7. Os homens dirigindo, podem SIM, pedir informação sem se perderem ou correr o risco de parecer impotentes (testemunhos);

8. O detergente: doses, consumo e aplicação. Práticas para evitar acabar com a casa;

9. A lavadora de roupas: esse grande mistério!!

10. Diferenças fundamentais entre o cesto de roupas sujas e o chão (exercícios com musicoterapia);

11. A xícara de café: ela levita, indo da mesa à pia? (exercícios Dirigidos por Mister M);

12. Analisar detidamente as causas anatômicas, fisiológicas e/ou psicológicas que não permitem secar o banheiro depois do banho.


Ao final do curso, para alcançar a auréola de ouro e o supra-título de SANTO, cada aluno deverá apresentar uma monografia com o desafiador tema: "Conhecendo a mente feminina" 






Postado por - OLIVER SCHMIDT http://www.hauhuh.blogger.com.br/

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Papai, Quero ser bobo quando crescer!

Das Vantagens de Ser Bobo
O bobo, por não se ocupar com ambições, tem tempo para ver, ouvir e tocar o mundo. O bobo é capaz de ficar sentado quase sem se mexer por duas horas. Se perguntado por que não faz alguma coisa, responde: "Estou fazendo. Estou pensando."

Ser bobo às vezes oferece um mundo de saída porque os espertos só se lembram de sair por meio da esperteza, e o bobo tem originalidade, espontaneamente lhe vem a idéia.

O bobo tem oportunidade de ver coisas que os espertos não vêem. Os espertos estão sempre tão atentos às espertezas alheias que se descontraem diante dos bobos, e estes os vêem como simples pessoas humanas. O bobo ganha utilidade e sabedoria para viver. O bobo nunca parece ter tido vez. No entanto, muitas vezes, o bobo é um Dostoievski.

Há desvantagem, obviamente. Uma boba, por exemplo, confiou na palavra de um desconhecido para a compra de um ar refrigerado de segunda mão: ele disse que o aparelho era novo, praticamente sem uso porque se mudara para a Gávea onde é fresco. Vai a boba e compra o aparelho sem vê-lo sequer. Resultado: não funciona. Chamado um técnico, a opinião deste era de que o aparelho estava tão estragado que o conserto seria caríssimo: mais valia comprar outro. Mas, em contrapartida, a vantagem de ser bobo é ter boa-fé, não desconfiar, e portanto estar tranqüilo. Enquanto o esperto não dorme à noite com medo de ser ludibriado. O esperto vence com úlcera no estômago. O bobo não percebe que venceu.

Aviso: não confundir bobos com burros. Desvantagem: pode receber uma punhalada de quem menos espera. É uma das tristezas que o bobo não prevê. César terminou dizendo a célebre frase: "Até tu, Brutus?"

Bobo não reclama. Em compensação, como exclama!

Os bobos, com todas as suas palhaçadas, devem estar todos no céu. Se Cristo tivesse sido esperto não teria morrido na cruz.

O bobo é sempre tão simpático que há espertos que se fazem passar por bobos. Ser bobo é uma criatividade e, como toda criação, é difícil. Por isso é que os espertos não conseguem passar por bobos. Os espertos ganham dos outros. Em compensação os bobos ganham a vida. Bem-aventurados os bobos porque sabem sem que ninguém desconfie. Aliás não se importam que saibam que eles sabem.

Há lugares que facilitam mais as pessoas serem bobas (não confundir bobo com burro, com tolo, com fútil). Minas Gerais, por exemplo, facilita ser bobo. Ah, quantos perdem por não nascer em Minas!

Bobo é Chagall, que põe vaca no espaço, voando por cima das casas. É quase impossível evitar excesso de amor que o bobo provoca. É que só o bobo é capaz de excesso de amor. E só o amor faz o bobo.
Clarice LispectorO mundo realmente pode ser dos espertos, porém, quem vive melhor nele são os bobos.Pense nisso!!!



sábado, 30 de julho de 2011

Meu Deus! Será que conheço meu Filho?



Adolescentes - Adolescente na praia


Gostaria de chamar a atenção nesta postagem para dois fatos lamentáveis. O primeiro, Amy Winehouse morreu aos 27 anos, na Inglaterra e o segundo, a noticia  retirada do jornal O tempo, que circula no estado de Minas Gerais. leia...


Uma festa para menores entre 13 e 15 anos em Belo Horizonte inspirada na série de filmes "American Pie", em que jovens se fartam em encontros regados a bebida alcoólica e competições de sexo, terminou com 109 adolescentes levados ao Juizado da Infância e Juventude, na última sexta-feira. Denunciada pelo pai de uma garota de 13 anos que foi ao evento mesmo sem autorização, a festa foi interrompida cerca de duas horas após seu início.

Comissários de menores, acompanhados de policiais militares, surpreenderam os menores que se divertiam ao som de funk e tomavam vodca e chope. O local da festa foi um espaço conhecido como Mirante da Raja, na avenida Raja Gabaglia, no bairro Santa Lúcia.


Segundo a coordenadora substituta do Comissariado da Vara da Infância e Juventude, Denise Pires Costa, quando os comissários chegaram uma garota estava na pista de dança tirando a roupa, simulando um show de strip-tease.


Os 109 adolescentes, todos de classe média, foram levados em kombis ao juizado e só foram liberados com a chegada dos pais, que tiveram que assinar um termo de responsabilidade.


A organizadora do evento, segundo os relatos dos adolescentes, foi embora depois de eles terem dito que tinham pagado R$ 30 para entrar na festa.


Aos policiais e comissários, a promoter, que ainda segundo os adolescentes, seria mãe de uma das garotas que também estava na festa, teria dito que a festa era uma comemoração pelo aniversário de 15 anos da filha. A mulher chegou a ser vaiada pelos adolescentes quando tentava dar sua versão aos policiais. A promoter teria contado com a ajuda da filha e de dois amigos dela, todos menores, para organizar a festa e divulgar o evento pela internet.





No folder da festa American Pie, aparece uma mulher puxando a calcinha. Pelo menos 300 convites teriam sido vendidos em shoppings e na porta de colégios particulares. Na hora, o ingresso custava R$ 50. A promoter foi procurada em casa e por telefone, mas não retornou as ligações.

http://www.otempo.com.br/.


Você deve estar se perguntando, o que tem haver um fato com o outro? simples, esses dois fatos tem um motivador comum, a ausencia de uma educação familiar, ou seja, uma educação com valores e princípios claramente definidos.
A formação educacional de jovens e adoslecentes para o futuro, vai muito além de escolas com conteúdo curricular, que os preparará para o vestibular. Uma  educação de qualidade, tem obrigatoriamente que os preparar para tomar decisões  de caráter moral e ético.
Todos nós, pais e educadores, temos o desafio de salvar as futuras gerações do engano de achar que informação e conhecimento são a mesma coisa.
Informação nossos jovens podem ter com um click. Porém, conhecimento é algo que se entrelaça com a nossa história familiar, de quem somos, em que acreditamos,quais são os nossos valores.
 Quero chamar atenção nesta postagem, é que a maioria dos pais hoje tem apenas, informações sobre seus filhos, mas, não tem conhecimento em que tipo de pessoas eles estão se tornando.











terça-feira, 12 de julho de 2011

Pais bons ou maus. Ser ou não ser, eis a questão?

Leia este artigo e relembre o quanto sues pais foram maus com você.
PAIS MAUS
Dr. Carlos Hecktheuer
Quando meus filhos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e as mães, eu hei de dizer-lhes:

Eu os amei o suficiente para ter perguntado aonde vão, com quem vão e a que horas regressarão.

Eu os amei o suficiente para não ter ficado em silêncio e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo não era boa companhia.

Eu os amei o suficiente para os fazer pagar as balas que tiraram do supermercado e dizer ao dono: “Nós pegamos isto ontem e queremos pagar”.

Eu os amei o suficiente para ter ficado em pé junto de vocês, por duas horas, enquanto limpavam o seu quarto, tarefa que eu teria feito em 15 minutos.

Eu os amei o suficiente para os deixar assumir a responsabilidade das suas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que me partiam o coração.

Mais do que tudo:

Eu os amei o suficiente para dizer-lhes "não", quando eu sabia que vocês poderiam me odiar por isso, e em alguns momentos até me odiaram. Essas eram as mais difícieis batalhas de todas.

Estamos contentes, vencemos! Porque, no final, vocês venceram também!
E, em qualquer dia, quando meus netos forem crescidos o suficiente para entender a lógica que motiva os pais e as mães, quando eles lhes perguntarem se seus pais eram maus, meus filhos vão lhes dizer: "Sim, nossos pais eram maus. Eram os pais mais malvados do mundo".

As outras crianças comiam doces no café, e nós tínhamos de comer pão, frutas e vitaminas. As outras crianças bebiam refrigerante e comiam batatas fritas e sorvete no almoço, e nós tínhamos que comer arroz, feijão, carne e legumes. E eles nos obrigavam a jantar à mesa, bem diferente dos outros pais que deixavam seus filhos comerem vendo televisão.

Eles insistiam em saber onde estávamos à toda hora. Era quase uma prisão. Mamãe tinha que saber quem eram nossos amigos e o que nós fazíamos com eles.

Papai insistia para que lhe disséssemos com quem iríamos sair, mesmo que demorássemos apenas uma hora ou menos.
Nós tínhamos vergonha de admitir, mas eles "violavam as leis do trabalho infantil". Nós tínhamos de tirar a louça da mesa, arrumar nossas bagunças, esvaziar o lixo e fazer todo esse tipo de trabalho que achávamos cruel. Eu acho que eles nem dormiam à noite, pensando em coisas para nos mandar fazer. Eles insistiam conosco para que disséssemos sempre a verdade e apenas a verdade. E, quando éramos adolescentes, eles conseguiam até ler os nossos pensamentos.

A nossa vida era mesmo chata. Enquanto todos podiam voltar tarde da noite com 12 anos, tivemos de esperar pelos 16 para chegar um pouco mais tarde. O papai, aquele chato, levantava para saber se a festa foi boa só para ver como estávamos ao voltar.

Por causa de nossos pais, nós perdemos imensas experiências na adolescência: nenhum de nós esteve envolvido com drogas, em roubo, em atos de vandalismo, em violação de propriedade, nem fomos presos por nenhum crime. Foi tudo por causa deles.

Agora que já somos adultos, honestos e educados, estamos fazendo de tudo para sermos "PAIS MAUS", como os nossos foram.

Fonte: Jornal Missão Jovem, Ano XVIII, nº 190. Junho/2004. Pais Maus, Dr. Carlos Hecktheuer, Médico Psiquiatra, Passo Fundo, RS.
E-mailcrhecktheuer@tpo.com.br

terça-feira, 21 de junho de 2011

E tem gente, que não acha o trabalho do professor de escola dominical importante!

Papai, o que é Páscoa?
 Ora, Páscoa é ...bem ...é uma festa religiosa!
 Igual o Natal?
 É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
 Ressurreição?
 É, ressurreição. Marta vem cá!
Sim?
Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu jornal.
Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?
 Mais ou menos ......Mamãe, Jesus era um coelho?
 Que é isso menino?
Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa igreja pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola?
Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque na escolinha da Igreja!
Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?
 É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso lá na escolinha da igreja. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
 O Espírito Santo também é Deus?
É sim.
E Minas Gerais?
 Sacrilégio!!!
É por isso que a Ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?
Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito. Mas se você perguntar para a  professora , ela explica tudinho!
Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de presente ele traz ovinhos.  Coelho bota ovo?
Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais!
Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa? 
 Era, era melhor, ou então urubu.
 Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né?
Que dia que ele morreu?
Isso eu sei:
na sexta-feira santa.
Que dia e que mês?

Sabe que eu nunca pensei nisso?
Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.
Um dia depois.
Não, três dias.
Então morreu na quarta-feira.
Não, morreu na sexta-feira santa ......ou terá sido na quarta-feira de cinzas?
Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois! Como?
Pergunte à sua professora , lá na igreja!
Papai, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
É que hoje é sábado de aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
O Judas traiu Jesus no sábado?
 Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!
 Então por que eles não malham o Judas no dia certo?
 É, boa pergunta.
 Papai, qual era o sobrenome de Jesus?
 Cristo. Jesus Cristo.
Só?
 Que eu saiba sim, por quê?
Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
 Coitada!
 Coitada de quem?
 Da sua professora da escola dominical

E AGORA, É IMPORTANTE OU NÃO ?

quinta-feira, 9 de junho de 2011

10 maneiras incríveis de estressar uma professora do ministério infantil.

Você já viu um  professor de escola dominial estressado? E uma professora do ministério infantil, também não?
Então meu amigo este artigo é para você !
Preste atenção nas dicas e decida, por você mesmo se irá utiliza-las ou não!

Obs: Qualquer semelhança das dicas aqui narradas com a realidade é mera coincidência.

1- Chegue atrasado com seu filho na classe.
     Sim, os professores adoram ter recomeçar a lição,1,2,3 vezes. Só, por que você chegou atrasado ou simplesmente esqueceu do horário.
2- Interrompa a aula, apenas, para dar uma olhadinha no seu filho.
     Não tem problema algum, você sair da reunião e ir da uma espiadinha no seu pimpolho. Afinal de contas, é só uma espiadinha a  professora vai entender. E se forem, apenas 4 espiadinhas ela vai entender também. Ora é o seu Guti guti....

3- Faça uma análise pedagógica da metodologia utilizada.
   Professores de uma forma geral, adoram ficar ouvindo e discutindo sobre conceitos pedagógicos. Principalmente, quando as discussões se embasam em referências tiradas de revistas de moda e programas de TV. Faça o teste,  pergunte ao professor do seu filho se ele é sociointeracionista ou conteudista.  Mesmo que você  não tenha a minima ideia do que isso quer dizer . Perguntar não ofende.

4- coloque sua esposa como líder do ministério infantil.
    Essa dica é para você que é Pastor. As professoras do ministério infantil simplesmente acham fantástico, serem lideradas por esposas de pastores que não entendem nada de educação. Claro que você vai dizer: Minha esposa  entende sim, ela cuida dos meus filhos... Bom... cuidar dos filhos da gente é uma coisa... Dos filhos dos outros, é outra coisa... Melhor deixar sua esposa  no louvor...

5- Critique em casa o trabalho dos professores.
     Nada é tão eficaz para estressar professores do ministério infantil e Ebd, como a tática de criticar em casa o trabalho que eles desempenham na igreja.  Principalmente quando isso é feito na frente dos filhos. Você realmente acha que quando você  detona a professora do seu filho em casa, ele vai guarda segredo. você  realmente acredita nisso... Bobinho você heim...

6- Demonstre `aquele` interesse pelas atividades desenvolvidas pelo seu filho na escolinha.
       Repita para o seu filho frases como estas:

       Nossa filho coloriu a arca de noé de novo! Essa é a decima vez . Que beleza...
       Nossa filho que musiquinha linda, vai cantar lá  seu quarto, vai. Daqui dez horas eu vou lar escutar!
       Outro desenhinho , vai mostrar para a mamãe, vai.
       Outro desenhinho, vai mostrar para o papai, vai.
       Puxa, outro desenhinho, deixa ai, vai

 7- Mostre para as professoras que seu filho é uma estrela.
     Nem sempre, os professores do ministério infantil sabem quando estão diante de um futuro astro. Então, cabe a você informa-los. Descreva para eles o currículo artístico do seu filho mostrando dessa maneira, que seria um desperdício se sue filho fica-se na fila de trás do coral, ou que não tivesse um papel maior na peçinha da escolinha.  Afinal, ele já nasceu com uma veia artística, você...

8- Exija coisas simples.
   Não tem problema algum você exigir coisas simples dos professores do ministério infantil. Coisas simples como trocar a fralda do seu filho de seis anos, enquanto você  tranquilimente assiste a reunião. Ora, é tão fácil trocar uma fralda, e além do mais, eles são profissionais preparados. claro, que se você tivesse tempo você mesmo ensinaria o seu filho a usar o banheiro, porém, tudo anda tão corrido, não é mesmo...

9- coloque em check o comprometimento delas.
     Essa é uma dica crucial para estressar uma professora de ministério infantil ou escola dominical. Se você  conseguir fazer com que ela saiba, que você não está satisfeito com o desempenho dela, estará começando bem. Deixe bem nítido que ela não esta se esforçando o suficiente.   Diga a  ela:  Só por que você chega mais cedo, não assisti as reuniões, sai mais tarde e ainda leva trabalho para casa!. Isso não é desculpa para não querer melhorar!,  se puder, cite algum versículo da bíblia que fale de compromisso, antes que ela exploda...

 10- Demore para buscar seus filhos.
   Quando a reunião terminar demore para buscar seus filhos . Antes, converse com alguns amigos e não esqueça de dar aquela passadinha  na cantina. Gente, o quê são 30 minutos para quem já está na igreja a mais de 3 horas. Além do mais, ficar um tempo com seus filhos não tem preço, tem...


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Por que Jesus não brincava?

 Por  que  não Jesus brincava?
Essa foi à pergunta feita a um pai pelo seu filho na porta de uma igreja,  um dia desses.
 Achei a indagação do pequeno muito interessante. Ela me levou a fazer também  as mesmas perguntas: Será que Jesus quando criança brincava?  Será que ele era uma criança feliz? Quais eram as brincadeiras  que bombavam na época de Jesus?
 Quando cheguei à minha casa  me propus a dar  uma rápida olhada na bíblia, nada muito profundo ou com um aspecto de pesquisa teológica, não, apenas fui buscar nos evangelhos algum resquício  ou uma passagem que me  ajudasse a responder essas perguntas.
 Fiquei decepcionado.  Pois, não achei relatos sobre as brincadeiras de Jesus com seus amigos e nem mesmo sozinho. Pensei, será que Jesus  brincava sozinho em casa sem poder sair como acontece hoje em dia, onde as crianças estão presas em casa sem poder sair, ora, por causa da violência cotidiana que atinge as ruas, ora, pela violência silenciosa das novas tecnologias que afastam e até mesmo criam um ambiente de inaptidão social em crianças. Ou seria simplesmente por que Jesus  realmente não gostava de brincadeira.
Bom, não consegui saber se Jesus brincava ou não. Porém, consegui saber a razão pela qual, aquele menino perguntou ao pai: Por que Jesus não brincava? Simplesmente por que ele ouviu o pastor dizer que Jesus não gostava de brincadeiras. Que Jesus queria crentes sérios e comprometidos com a palavra.
 A grande lição que tirei desse pequeno acontecimento, é que a imagem que alguns adultos têm construído de Jesus,  ao invés de aproximá-lo dos pequenos tem levado as crianças a se distanciar dele. Por isso, quando alguma criança perguntar se Jesus gostava de brincadeira, responda SIM.  

terça-feira, 7 de junho de 2011

Brincar ainda é o melhor negócio para a criança.



Quando Jesus falou : Deixai vir a mim as criancinhas... Ele sabia  o que estava falando, pois , as crianças tem o poder instantâneo  de achar soluções fáceis  e interessantes para tudo. 

Nesta entrevista a fonaudióloga Cyrce Andrade fala um pouco sobre o ato de brincar e educar, tendo em vista, as novas tecnologias e desafios da educação.

fonoaudióloga Quando a fonoaudióloga Cyrce Andrade começou a atender crianças em consultório, se perguntava por que os questionários inquiriam sobre tantas coisas, como saúde e alimentação, mas não tocavam no quesito brincar. "Não fazia sentido se o que a garotada mais gosta de fazer é se envolver com jogos e brincadeiras e essa é sua forma de representar e conhecer o mundo”, diz ela, que a partir dali direcionou seu trabalho e seus estudos para conhecer mais o tema. Mestre em Psicologia da Educação, ela foi responsável pela criação da brinquedoteca da comunidade da Rocinha, no Rio Janeiro, há 23 anos. Hoje, atua como assessora de projetos e formadora de educadores. Ao longo da vida, reuniu brinquedos e jogos do Brasil e de diferentes partes do mundo em uma coleção reunida em sua casa, de onde concedeu esta entrevista à NOVA ESCOLA. 
Brincar é algo que se ensina? 
CYRCE ANDRADE
 Sim, é uma aprendizagem social. Quando um bebê bate uma mão na outra, trata-se de um gesto casual. Mas, se alguém repetir o movimento, dá intencionalidade lúdica e aí, sim, ele se transforma em brincadeira. É necessário estabelecer uma relação com o outro. Mas não é só o adulto que ensina. Crianças convivem entre si e trocam experiências a respeito. 

Qual é a importância do tema na Educação Infantil? CYRCE Primeiramente, temos de pensar no brincar como algo que vai além dessa etapa. A escola precisa do brincar. E isso não porque tem crianças. A relevância da ludicidade nela se justifica porque é um ambiente onde existem seres humanos. Depois, é preciso enxergar o brincar como a maneira que os pequenos têm de produzir cultura e como a forma de expressão da infância por excelência. Caso se iniba essa linguagem, que opção restará a eles? Infelizmente, há muitas dificuldades de perceber essa produção de cultura lúdica contemporânea porque muitos adultos não conhecem várias brincadeiras ditas modernas. Não estou falando que é preciso decorar o nome de todos os personagens, mas precisamos saber que eles existem. Os educadores têm de saber do que brinca sua turma durante o fim de semana. 
Brinquedos eletrônicos estão muito presentes no cotidiano infantil. Eles são indicados para crianças pequenas? E para o acervo da escola? 
CYRCE 
Não sou defensora do sabugo de milho em oposição ao chip. Acho que um complementa o outro. Esse tipo de discussão já existiu no passado: brinquedo industrializado versus artesanal. O alvo muda, mas já vimos que as coisas se somam. Porém defendo que a escola, por ser um dos raros lugares que os pequenos têm para conviver com os colegas hoje, seja um ambiente que privilegie o brincar em grupo. Mas isso não significa proibir os eletrônicos totalmente. 

Aprender brincando” é uma expressão muito em voga. Funciona usar brinquedos para ensinar? CYRCE Acho possível. Porém isso não significa disfarçar a aprendizagem. Se estamos dentro da escola, qual o problema de ela fazer seu papel? Aprender é tão interessante quanto brincar. Não é castigo. Os educadores precisam compreender que criança gosta de aprender e se dedica ao desafio. Basta saber como conduzi-lo. Observe os pequenos com blocos de madeira. Eles nunca constroem coisas simples: tentam montagens mirabolantes, que vão cair várias vezes até dar certo. Às vezes, disfarçar algo com uma brincadeira pode ser bom para diminuir uma angústia do adulto que precisa ensinar, e, não da criança, que vai aprender. 
http://revistaescola.abril.com.br